Agricultura urbana


A associação quase instantânea que fazemos entre agricultura e meio rural pode levar a uma impressão de incompatibilidade entre agricultura e meio urbano. Entretanto, a agricultura urbana não é uma actividade recente e, de alguma forma, sempre se expressou nas áreas urbanas, mesmo que timidamente. A cidade do Porto é um bom exemplo disso, com um tecido urbano repleto de pequenas hortas e recantos cultivados, muitas vezes onde menos se espera.
A agricultura urbana consiste na produção de alimentos dentro de perímetro urbano e periurbano, aplicando métodos extensivos, tendo em conta a inter-relação homem/cultivo/meio ambiente e as facilidades proporcionadas pela infra-estrutura urbanística, que propiciam a estabilidade da força de trabalho e a produção diversificada durante todo o ano, baseadas em práticas sustentáveis que permitem reciclar resíduos orgânicos.
Tem o compromisso de manter e/ou recuperar a biodiversidade dos agro-ecossistemas e da envolvente, ao mesmo tempo que possibilita o aumento do rendimento familiar, ao agregar valor aos produtos e ampliar o mercado, facilitando a comercialização.
Apesar de não ser ainda acessível a uma boa fatia da população, esta actividade tem despertado um crescente interesse, como vem provando o enorme sucesso do projecto horta à porta, da Lipor ( http://www.hortadaformiga.com/conteudos.cfm?ss=7)
A agricultura biológica idealizada para as áreas urbanas poderá sustentar-se no uso responsável do equilíbrio dos ecossistemas locais, possibilitando obter bons níveis de produtividade, evitando ao mesmo tempo o risco de contaminação química para o agricultor urbano e os consumidores, bem como do meio ambiente circundante.
Por outro lado pode incorporar os últimos avanços científicos, promovendo a participação criativa dos agricultores, respeitando os conhecimentos, culturas e experiências locais.
A sustentabilidade da agricultura urbana deve estar apoiada no conhecimento da agro-ecologia local, bem como na utilização de todo o espaço disponível, para maior produção durante todo o ano. Será importante assegurar a integração interdisciplinar e interinstitucional para garantir apoio técnico à produção.
Com cerca de 3 hectares de cultivo de plantas aromáticas, medicinais e condimentares, certificados em modo produção biológico, o nosso espaço é um dos poucos em toda a Europa a fazê-lo em ambiente urbano. Totalmente visitável e com uma forte vertente pedagógica, procurámos mostrar a todos que é possível, que está ao alcance, assim haja vontade.

Share this:

CONVERSATION

2 comentários:

Marisa disse...

Fico seriamente feliz, imensamente feliz por esta practica acontecer.
Envio-vos o meu sorriso e o meu apreço, visto que mais nada para ja posso fazer. Sou estudante de Eng. Agronomica ramo Espaços Verdes e é realmente uma practica que eu aprovo incondicionalmente, por diversos factores. os meus parabens
Marisa Lopes

Central-Portugal disse...

A horta da fotografia é a horta mais bela que já alguma vez vi. Que maravilha!